19/06/2007

DO CADERNO H

Em época de escritas e escrituras, relembro ele, SEMPRE... Mario Quintana!


CÁ ENTRE NÓS
Os clássicos escreviam tão bem porque não tinham os clássicos para atrapalhar.

2 comentários:

Lu Geiger disse...

É isso aí, amiga... a gente, além de se sentir repetindo coisas, carrega o peso do olhar secular daqueles que já se foram e que fizeram alguma diferença...

Suzana disse...

É, mesmo... mas o Quintana não se atrapalhou com os clássicos: tornou-se, ele mesmo, O CLÁSSICO!!
Hehehe...
Acho que terei novidades em breve!
Abraçãoooooooooo